Informação

Vitamina D: relação com Cancro, Crohn e Diabetes

A carência de Vitamina D3 parece estar relacionada com diversas doenças

Vários estudos têm-se debruçado sobre a importância da Vitamina D na prevenção de várias doenças. A Vitamina D está implicada em milhares de reações no nosso organismo. 

Já em 2007, o American Journal of Preventive Medicine publicou que o nível sérico de 25(OH) D superior a 33 ng/mL estava a associado a um menor risco de cancro colorretal em 50%. Também o International Journal of Cancer publicou que um aumento de 10 ng/ml nos níveis séricos de vitamina D estava associado a uma queda de 15% na incidência de cancro colorretal e de 11% no cancro da mama.

No final do estudo, os níveis de depressão das mulheres haviam melhorado significativamente após a suplementação

Em 2007, o American Journal of Clinical Nutrition publicou os resultados de um estudo sobre Vitamina D no cancor da mama e que levou quatro anos em acompanhamento de diversas mulheres. Segundo os dados, o índice de sobrevivência foi 77% maior em mulheres que tomaram 1.100 UI (unidades internacionais) de Vitamina D e 1.450 mg de cálcio diariamente. Estes resultados foram obtidos em comparação a pacientes que tomaram placebo ou cálcio. 

A investigação estuda a ligação da Vitamina D com doenças como cancro da mama ou diabetes tipo 2

Além dos trabalhos acerca da relação entre Vitamina D e cancro da mama, existem outros estudos que relacionam a carência daquela vitamina com outros tipos de cancro, como pâncreas, pulmão, ovário, próstata e pele. Segundo o artigo de Dr. Mercola, as conclusões baseiam-se em mais de 200 estudos epidemiológicos e 2.500 testes em laboratório.

Importância da vitamina D na doença de Crohn

A doença de Crohn é outra das condições associadas à possível carência de Vitamina D. Estudos recentes (consultar fontes na informação Dr. Mercola aqui) mostrou haver uma interação significativa entre aquela vitamina e suscetibilidade à doença de Crohn, com os níveis séricos a serem bem mais baixos em pacientes com Crohn.  

Diabetes, Vitamina D2 e Vitamina D3

Uma publicação referida pelo Dr. Mercola é a Diabetes Care, que indica que a suplementação com Vitamina D pode ajudar  na prevenção de diabetes mellitus tipo 2 e pré-diabetes. O estudo de observação durante três anos concluiu que os participantes com níveis mais elevados de Vitamina D apresentaram menos 30% de probabilidades de desenvolver diabetes relativamente aos participantes com níveis de Vitamina D mais baixos. 

Existem estudos que mostram melhorias significativas em mulheres com Diabates Tipo 2 e a toma de Vitamina D2. Num dos estudos mencionados pelo Dr. Mercola, concluiu-se que “as participantes tomaram um suplemento de vitamina D2 de 50.000 UI semanalmente por 6 meses. No final do estudo, os níveis de depressão das mulheres haviam melhorado significativamente após a suplementação.”

No entanto, o responsável pela investigação, Dr. Todd Doyle, afirma que é melhor a Vitamina D3 que a Vitamina D2, pois a toma desta pode ser mais prejudicial a longo prazo. O Dr. Mercola partilha da mesma opinião, explicando que a Vitamina D2 habitualmente receitada é o ergocalciferol, uma forma sintética de vitamina D2 e não é produzida naturalmente pelo organismo, como a Vitamina D3 quando o organismo é exposto ao sol, por exemplo. 

Os cientistas descobriram “uma forte interação aditiva entre a obesidade abdominal e a insuficiência de 25(OH)D no que concerne a resistência à insulina”

Os dados publicado em 2012 pelo instituto Cochrane, Instituto de Saúde Baseado na Evidência, num trabalho de análise de 50 testes controlados randomizados que incluíram 94 mil participantes mostraram uma redução de 6% no risco associado a Diabetes Tipo 2 em pessoas que tomaram Vitamina D3 e um aumento de 2% em pessoas que tomaram Vitamina D2. 

Outros estudos apresentados pelo site informativo mostram que a Vitamina D pode estar relacionada com a diminuição de risco de Diabetes Tipo 2. Os cientistas descobriram “uma forte interação aditiva entre a obesidade abdominal e a insuficiência de 25(OH)D no que concerne a resistência à insulina”.

Sem estabelecer relações de causalidade mas apenas de observação num período de três anos, a publicação Diabetes Care também publicou que a suplementação de Vitamina D pode ajudar em pessoas com pré-diabetes. O trabalho assinalou que pessoas com níveis mas altos de Vitamina D apresentaram menos probabilidades em 30% em desenvolver diabetes, relativamente a pessoas com os níveis mais baixos. 

Fonte: Deficiência de vitamina D está associada à depressão, dor, doença intestinal inflamatória e câncer de mama